Um dia chuvoso, representa muitas brincadeiras dentro de casa e um lanchinho bem reforçado. Mas você sabia que as águas da chuva são, naturalmente, um pouco ácidas?

E mais, que graças à poluição do ar nas grandes cidades, um tipo de chuva está se tornando cada vez mais comum?  A chuva ácida.

Não está entendendo nada? Como os pingos de chuva podem ser ácidos? Calma, vamos lá.

Primeiro, as chuvas são consideradas pelos pesquisadores como ácidas por terem um pH abaixo de 7. Como é possível? Acontece que existe dióxido de carbono na atmosfera e ele interage com a água gerando o ácido carbônico, que é um ácido fraco.

Até aí tudo bem. O problema acontece quando gases poluentes, causados pela queima de combustíveis em fábricas e veículos, aumentam a acidez natural da chuva.

A reação dessas substâncias com a água forma o ácido nítrico e ácido sulfúrico, formando a ‘chuva ácida’.

Fenômenos naturais como erupções vulcânicas e processos biológicos, que ocorrem nos solos, pântanos e oceanos, também podem produzir esses gases. Porém, a poluição causada pela poluição é a principal responsável pela quebra de normalidade do pH das chuvas.

O termo ‘chuva ácida’ foi usado pela primeira vez pelo químico e climatologista inglês Robert Angus Smith. De lá, pra cá o fenômeno tem crescido nos países em processo de industrialização como, Brasil, Rússia China, México e Índia.

Um problemão

E o que isso faz com a natureza? Bem, a ‘chuva ácida’ tem uma série de consequências para o meio ambiente.

Na terra, ela pode deixar o solo improdutivo, acabar com florestas, destruir lavouras e dificultar plantações. Já na água, a acidez pode acabar com toda a vida aquática, como plâncton, peixes, moluscos, rãs, uma vez que esses seres vivem com um pH quase neutro.

A ‘chuva ácida’ tem consequências também para o ser humano, já que corroem prédios, estátuas, monumentos, degraus de escadarias, pisos e até carros.

Se ela é tão perigosa, o que se pode fazer para impedi-la? Medidas simples como economizar energia, fazer o uso de transporte coletivo e o uso de fontes de energia menos poluentes, podem ajudar a diminuir a formação das ‘chuvas ácidas’.