Adulto de Aplastodiscus arildae / Reprodução AQF

O Brasil é o país com a maior riqueza de espécies de anfíbios do mundo!

Mais de mil espécies já são conhecidas e o Quadrilátero Ferrífero, na região centro sul de Minas Gerais, abriga cerca de 10% das espécies do país e quase metade da riqueza do estado.

O Quadrilátero é considerado uma área de prioridade máxima para a conservação desses animais. Mas tanta riqueza biológica divide espaço com uma das maiores jazidas de minérios do país e com a terceira mais populosa região metropolitana do Brasil, incluindo a capital, Belo Horizonte.

Apesar dessa importância, uma parcela das espécies que vivem nessa região centro sul do Estado permanece pouco conhecida, o que dificulta a elaboração e a implantação de estratégias de conservação eficientes.

Mapeamento de anfíbios do Quadrilátero Ferrífero

Adulto de Boana albopunctata / Reprodução AQF

Para mapear essa biodiversidade, pesquisadores da Universidade Federal de Minas Gerais (UFMG) e da Universidade Federal de Viçosa (UFV) desenvolveram uma ferramenta online que pode ampliar o alcance dos estudos de taxonomia de anfíbios.

Trata-se do projeto Anfíbios do Quadrilátero Ferrífero (AQF), resultado de 10 anos de trabalho do Laboratório de Herpetologia da UFMG e que hoje também envolve o Sagarana Lab, da UFV.

Financiado pela Fundação de Amparo à Pesquisa de Minas Gerais (Fapemig) e pela Vale, o site Anfíbios do Quadrilátero Ferrífero é interativo, reúne fotografias dos animais em seus ambientes de ocorrência natural e dos espécimes em coleção, além de uma galeria de áudios que possibilitam identificar os anfíbios pela sua vocalização.

Para o professor Paulo Christiano de Anchieta Garcia, do Instituto de Ciências Biológicas (ICB) da UFMG, o site pode ser um bom suporte para aulas de biologia e educação ambiental.

A plataforma é colaborativa e permite que novas espécies sejam adicionadas diretamente à base de dados, tornando-se acessíveis a todos.

“Padronizar a identificação de espécies animais é importante para melhorar a qualidade dos estudos ambientais feitos da região, sejam acadêmicos ou de consultoria. Mais do que isso, identificar e catalogar espécies é um grande passo para conhecer e proteger a biodiversidade da região”, avalia o pesquisador do Laboratório de Herpetologia Tiago Pezzuti.

Quadrilátero Ferrífero / Reprodução AQF

Anfíbios na região do Quadrilátero Ferrífero:

  • Mais de 90 espécies de anfíbios
  • Seis espécies endêmicas (restritas ao local)
  • Duas espécies classificadas como ameaçadas