A física nem sempre é uma matéria fácil de entender. Partículas invisíveis aos olhos tão especiais que podem, até mesmo, criar um universo.

Complicado, né? Mas você já pensou em aprender sobre nêutrons, prótons, raios cósmicos e uma infinidade de conceitos da física por meio de desenhos animados?

Essa é a ideia do Animafísica. O grupo, que reúne professores e alunos do Instituto de Física da Universidade Estadual de Campinas (Unicamp), São Paulo, irá lançar o seu primeiro curta animado no dia 25 de outubro. O tema escolhido para a estreia foi: “Quarks e Léptons”.

O coordenador do Animafísica, Marcelo Moraes Guzzo, explica que Quarks são formados por nêutrons e prótons. Já um exemplo, bem famoso, de Léptons é o elétron. “A matéria é formada justamente por eles”, destaca.

A ideia é contar como tudo isso acontece com uma linguagem jovem e divertida.

“Para isso usamos a história de uma adolescente que gosta muito de rock. Ela quer ir a um show e o pai dela, que é físico, faz um desafio: responder o que tem dentro de um baú. Ela fala Quarks e acerta. É nesse momento que o pai explica o que é isso”, conta o físico.

O projeto é ligado à pesquisa Desafios da ciência de neutrinos para o século XXI, coordenada pelo professor Orlando Perez. Além desse piloto, os pesquisadores pretendem lançar pelo menos mais dois curtas. “Um será sobre os neutrinos, tema da pesquisa. O outro sobre raios cósmicos, já que na Unicamp o departamento que estuda esse tema foi fundado pelo professor César Lattes, especialista no assunto (e ganhador de um Nobel de Física)”, adianta Marcelo Guzzo.

Como é fazer um curta de ciência?

Story Board curta

Esboço dos personagens do curta. Foto: Equipe Animafísica.

Além dos pesquisadores da universidade o curta-metragem contou com a ajuda de uma pessoa muito importante para ser feito: o cineasta e animador Maurício Squarisi.

Maurício faz desenhos animados há 40 anos e a maioria se liga a assuntos educativos. O animador conta que o convite para integrar a equipe se deu justamente por seus filmes. “Eu fiz um longa que aborda a história do café com muito humor e música, mas com muito rigor nas informações. Tivemos até mesmo a ajuda de uma historiadora. O Marcelo viu o filme e me convidou para participar”, lembra.

E como será que foi essa experiência? Segundo Maurício, muito boa e enriquecedora. “Primeiro fui para o departamento de física e tive uma aula sobre o tema. A partir dessa aula fui fazendo os desenhos, aonde as informações foram sendo faladas, por meio do humor e da música. Tive muita liberdade de criar nesse processo”, conta. 

Desenho animado nas escolas

Mas está enganado quem pensa que o curta é apenas uma brincadeira. A ideia dos pesquisadores é que, além de proporcionar diversão, esse material também seja usado nas escolas.

Marcelo Guzzo conta que Quarks e Léptons são tema da Base Nacional Curricular Comum (BNCC), recentemente implantada em todas as escolas do Brasil. “Dessa forma, estamos preparando um material de apoio para os professores. Pretendemos, assim, auxilia-los quando usarem os vídeos em sala de aula. Nesse modelo propomos debates, jogos, etc.”, informa.

Para o coordenador do Animafísica a animação é uma maneira de desperta o interesse para a área da ciência, já que é algo muito atraente, não só para as crianças, mas também para os jovens e adultos. Porém, Maurício Squarisi destaca que a utilização de materiais como esse, não é tão comum. “Sendo assim, esse piloto tem então muito a contribuir com a divulgação científica e a educação em geral”.

Ficou interessado? O curta-metragem, assim como vídeos complementares que ajudam a entender outros conceitos que aparecem no desenho, poderá ser visto no site do projeto após a estreia no dia 25 de outubro.