A prática de viver em sociedade é antiga. Técnica de defesa, também utilizada por animais, o convívio em comunidade é bom tanto para a saúde física, como mental de uma pessoa.

No entanto, para que essa convivência seja tranquila, existe um conjunto de direitos e deveres que uma pessoa deve seguir. Agir de acordo com essas normas determina se o seu comportamento – diante daquele grupo – é ético (bom) ou não.

Mas você deve estar se perguntando: como vou saber se estou sendo ético ou não? Uma forma legal, e bem tecnológica, de entender mais sobre o seu papel na sociedade é pelo o aplicativo “Cidade Legal”.

Em formato de jogo, o app é uma ajuda para o Programa de Educação Fiscal Estadual (Proefe) e busca despertar a cidadania em alunos do Ensino Fundamental e séries iniciais do Ensino Médio, por meio das suas escolhas na hora de administrar diversas situações que surjam, no âmbito ambiental, patrimonial ou financeiro.

Com isso, espera-se, que os jogadores aprendam sobre gestão de pessoas e empreendedorismo. Além de colocarem em prática conceitos de cidadania e ética.

Mas por que aplicativo? A opção pelo formato levou em conta o alcance que os apps têm sobre a população jovem. Além da possibilidade de alcançar pessoas de todo o país, pois é todo virtual.

O game foi desenvolvido pelo servidor da Administração Fazendária de Pará de Minas (unidade da SEF) e estudante da Universidade Aberta e Integrada de Minas (Uaitec), Mayton Ferreira da Silva. O produto é fruto da parceria entre as secretarias de Estado de Fazenda (SEF) e de Educação (SEE).

aplicativo ensina ética

Imagem: Reprodução.

Como o aplicativo funciona?

O aplicativo está sendo testado em escolas de Minas de Gerais. Quando finalizado, poderá ser usado em diversas plataformas, como tablets, computadores e smartphones.

Mas, afinal, como ele funciona? Na verdade, é bem simples:  o jogador irá incorporar um empresário casado, com um filho e morador de um bairro em uma cidade.

O aluno terá que realizar tarefas do cotidiano da vida adulta: levar o filho para a escola, hospital, fazer compras, organizar sua empresa.

O ponto alto é que, assim como todo empresário, o jogador terá de tomar decisões difíceis. É nesses momentos que ele terá de agir de forma ética para seguir no jogo.

Cidadania e ética

O jogador é obrigado a optar sempre por ações éticas? Não.

Assim como na vida real, o aluno poderá escolher qual caminho quer seguir: agir de forma legal e transparente – pagando tributos, emitindo documentos fiscais, comprando material de procedência legal – ou optar pela ilegalidade – poluindo, sonegando tributos, omitindo informações.

Mas atenção. A partir do momento que o jogador age de forma antiética problemas vão aparecendo na cidade. A ideia, com isso, é mostrar que o crime e a corrupção (de qualquer tipo) afetam negativamente toda a sociedade.

Informações: Agência Minas