Você já ouviu falar da MiniONU?

É uma simulação de uma conferência da Organização das Nações Unidas (ONU) que tem o objetivo de levar o debate sobre temas globais a alunos do ensino médio.

Em Belo Horizonte, 250 estudantes da PUC Minas são responsáveis pela organização do evento, que chega em sua 20ª edição no próximo fim de semana.

A MiniONU insere-se em um conjunto de simulações das Nações Unidas realizadas em todo o mundo, como projeto pedagógico.

Através do engajamento de estudantes do curso de Relações Internacionais, formam-se comitês (ambiente de simulação de organismos internacionais ou instituições nacionais com agenda internacional) que serão palco de discussões de temas relevantes da agenda internacional.

Cada comitê procura reproduzir o que acontece na realidade de um evento da ONU.

Alunos do ensino médio transformam-se em delegados que defendem interesses do país a que são atribuídos. Para isso, passam por um período de preparação em suas escolas, sob supervisão de professores.

20ª edição da MiniONU

O evento de Belo Horizonte é o maior modelo intercolegial das Nações Unidas na América Latina, e será realizado de 12 a 15 de outubro, no campus Coração Eucarístico.

Atualmente, o evento engloba 6 cursos da PUC Minas: Relações Internacionais, Serviço Social, Psicologia, Publicidade e Propaganda, Jornalismo e Geografia.

Mais de mil estudantes de 80 escolas de quase todas as regiões do Brasil estarão presentes. O número de participantes é 20% maior do que em 2018.

Confira a programação completa pelo link.

A conferência de abertura, sobre educação, será a partir das 18h30 do sábado, dia 12/10, no estacionamento em frente ao Teatro João Paulo II.

MiniONU na Puc Minas / Divulgação

Como funciona a MiniONU?

Durante o evento, os delegados, distribuídos em seus comitês, debatem, pactuam, deliberam e criam consensos para os temas em questão.

Estarão à prova não somente os conhecimentos, mas a capacidade de relacionamento, diálogo e gerência do imprevisto.

A MiniONU contribui para a ampliação das fronteiras do conhecimento e promove a busca por soluções coletivas para problemas mundiais.

Além disso, o evento visa contribuir para criar líderes e cidadãos conscientes da realidade atual e preparar os participantes para o convívio com as diferenças de um mundo sem fronteiras, através do estudo da cultura e política de outros países representados.

Entrevista com Marcela Barros Nichthauser, graduanda de Relações Internacionais, Secretária Geral do MINIONU 20 anos.

Qual a importância de um evento como este para alunos do ensino superior?

É uma oportunidade de crescimento pessoal e profissional. Ao longo dos dias, somos demandados a exercer diversas funções, e estamos em contato com diversas pessoas com bagagens culturais diferentes.

E quais os ganhos para estudantes do ensino médio?

Os alunos de ensino médio têm a oportunidade de debater os mais variados temas, como a questão do empoderamento feminino, direito dos animais, impactos da xenofobia e dos fluxos migratórios, exploração do espaço, assuntos que nem sempre são discutidos em sala de aula.

Durante os dias do MINIONU, os alunos são protagonistas nas discussões, e o conhecimento passa a ser obtido de uma forma mais plural por meio do intercâmbio de ideias.

Além disso, os alunos desenvolvem suas capacidades de oratória, negociação e trabalho em equipe, valores necessários para se chegar a um resultado dentro dos comitês.

O que aprenderam nesses 20 anos de MINIONU na PUC Minas?

Que devemos sempre ser um espaço para acolhimento de novas ideias para discussão e debate.

Devemos sempre inovar nos temas e na forma de transmiti-los.

Cada edição do MINIONU é sempre uma nova experiência, aprendendo com o que foi vivenciado nas edições anteriores e inovando para trazer novas experiências para os participantes.

Como são divididas as funções dentro da organização?

Os participantes são distribuídos em diversas funções, como diretor de comitê, que são os responsáveis pela criação de comitês que trazem temas a serem debatidos.

Estes são apoiados por diretores assistentes e voluntários, que podem atuam dentro dos comitês ou como apoio logístico.

Contamos também com a comissão organizadora, que tem a função de gerir os comitês criados e de dar todo suporte a escolas participantes.

Ainda dá tempo de se inscrever para participar? E quem não participar desta vez, pode acompanhar pelo site ou mídias sociais?

As inscrições para essa edição já se encerraram, mas costumam ser abertas no mês de maio de todos os anos, e em abril é o período de isenções.

Para quem não conseguiu participar, ainda dá para nos acompanhar nas mídias sociais:

A cerimônia de abertura será transmitida pelo YouTube no dia 12 de outubro, a partir de 18h30.

MiniONU / Divulgação