Quando a gente viaja de avião, as emoções são tantas que às vezes a gente nem percebe a variedade de procedimentos de segurança pelos quais temos que passar.

Tem gente que fica muito animada, outras pessoas sentem um bocado de medo. Mas todo mundo tem que fazer os mesmos procedimentos de check-in, controle de embarque, raio-x e segurança.

Mas a atenção à segurança de viagens aéreas vai muito além daquilo que acontece dentro dos aeroportos e considera também o que acontece no entorno.

Você já pensou, por exemplo, na quantidade de pássaros que podem voar do lado de fora e, sem querer, acabar causando uma colisão com os aviões?

Segurança em viagens aéreas

Pássaros livres na natureza são um espetáculo de beleza para os olhos e ouvidos. Mas quando eles se aproximam da região de aeroportos, podem se tornar um grande risco.

Pensando nesse cenário, o pesquisador Matheus Silva desenvolveu sua dissertação de mestrado no Programa de Pós-graduação em Geografia da Universidade Federal de Minas Gerais (UFMG).

Ele se interessou por entender como o risco da presença de aves influencia a dinâmica dos aeroportos, levando a consequências financeiras e ao bem-estar humano.

É uma pesquisa que passa pelas áreas de ecologia e de transportes e busca uma nova abordagem ao estudar o território, o entorno dos aeroportos.

Imagem meramente ilustrativa via Pixabay

Por que pássaros se aproximam de aeroportos?

De acordo com a dissertação de Matheus Silva, das diversas causas deste fenômeno, a cobertura do solo nas proximidades dos aeroportos é um fator potencializador de atração de pássaros para a localidade.

A presença das aves agrava o problema da segurança viária e é tema que precisa ser melhor estudado para fomentar políticas públicas, ou seja, traçar soluções que sejam implantadas pelo governo em benefício da população.

Matheus estudou os aeroportos da região metropolitana de Belo Horizonte (MG) a partir de técnicas de análise ambiental e ferramentas geoespaciais.

O mapeamento do uso da terra e a determinação de outras variáveis ambientais foram utilizadas para calcular o que favorece a atração de aves nos aeroportos estudados. O pesquisador também fez uso de estatísticas para analisar os raios de segurança dos aeroportos.

Ele concluiu que a determinação de raios de segurança em aeroportos só é efetiva quando considera as condições de uso da terra no entorno, e que isso deve ser observado no planejamento de segurança aeroportuária.

Confira a entrevista do pesquisador à TV UFMG: