Se você já assistiu aos filmes da trilogia Uma noite no museu, deve ter se divertido com as aventuras do vigia Larry Daley. Ele precisa manter tudo sob controle, quando figuras históricas do acervo do Museu de História Natural da cidade de Nova Iorque ganham vida.

Na próxima sexta-feira, 5 de julho, o público da capital mineira poderá experimentar a sensação de visitar 26 museus, centros de referência e centros culturais durante a noite. O Noturno nos Museus de Belo Horizonte, que já está na sexta edição, abrirá as portas desses locais das 18h às 23h, com programação especial.

A Rede de Museus da UFMG, por exemplo, oferece atividades gratuitas em quatro espaços.  No Planetário da Estação Ecológica, no campus Pampulha,  será possível observar as estrelas da bandeira brasileira, em sessões realizadas de hora em hora, das 19h às 22h. O Acervo de Escritores Mineiros, na Biblioteca Central, o Centro de Memória da Escola de Enfermagem, no campus Saúde, e o Espaço do Conhecimento, na Praça da Liberdade, também estarão abertos, com visitas guiadas a exposições, exibição de filmes, contação de histórias e muito mais.

No Museu de Ciências Naturais da PUC Minas, no Coração Eucarístico, haverá visitas mediadas e observação astronômica, além de uma apresentação do grupo musical Estagiários Brass Band. Com repertório variado, executado em instrumentos de sopro, os músicos prometem diversão garantida.  A atração é gratuita e começa às 20h.

Para quem deseja dar asas à imaginação, como na comédia estrelada pelo ator Ben Stiller (assista ao trailer, abaixo), o Instituto Indió, localizado no Centro, apresenta uma mostra de teatro de caixa, com um espetáculo que usa bonecos e cenários em miniatura. Na peça Sonho de leitura, Victor lê um livro de estórias na cama, antes de dormir. Repentinamente, seu quarto recebe visitas inesperadas. As apresentações serão realizadas das 19h às 21h e o ingresso custa R$ 2.

Rota dos museus

Para estimular os visitantes a conhecer mais de uma atração, haverá serviço de transporte gratuito, com vans distribuídas em 12 trajetos. É possível, por exemplo, conhecer parte do conjunto arquitetônico da Pampulha, na rota que percorre o Museu de Arte da Pampulha (MAP), a Casa do Baile e o Museu Casa Kubitschek. Ou, ainda, estender o passeio do MAP diretamente para o Museu da Moda de Belo Horizonte, na região central, dentre outras possibilidades.

A novidade deste ano é a possibilidade de fazer o trajeto de bicicleta entre três instituições participantes: o Museu da Imagem e do Som (MIS), o Museu Histórico Abílio Barreto e o Centro Cultural Minas Tênis Clube. O passeio ciclístico contará com apoio do grupos BH em Ciclo, Bloco da Bicicletinha e Giro Rua.