Detergente, cola, espuma de barbear, pasta de dente, corantes. Não faltam receitas, com os mais variados ingredientes, para fazer o slime, a geleca caseira que é sucesso garantido entre a criançada. Um deles, em especial, tem preocupado médicos e autoridades de saúde: o bórax. A substância, também conhecida como borato de sódio, tem sido usada para “dar liga” ao slime e pode ser facilmente encontrada em pequenas lojas, como papelarias.

Nesta semana, o caso de uma criança de 12 anos, internada em São Paulo após intoxicação por bórax, ganhou repercussão nacional. No último dia 23 de maio, a Agência Nacional de Vigilância Sanitária (Anvisa) emitiu um alerta, informando que o uso do produto químico, com essa finalidade, não é regulamentado e pode prejudicar a saúde, especialmente das crianças.

O bórax é usado em fertilizantes, produtos de limpeza e até mesmo em medicamentos. Mas, se for inalado ou ingerido, pode causar intoxicação. O uso inadequado pode provocar náuseas, vômitos, cólicas, diarreia com coloração azul ou esverdeada, cianose (pele, unhas e lábios azulados ou acinzentados), queda de pressão, perda da consciência e choque cardiovascular.

Slime pode causar alergia

O alergista e imunologista Fernando Aarestrup, presidente da Associação Brasileira de Alergia e Imunologia (Asbai), regional Minas Gerais, chama a atenção, também, para possíveis reações alérgicas que podem ser desencadeadas pelo slime.

“Coceira, ressecamento da pele e lesões que parecem queimaduras são alguns dos sintomas”, cita.

A orientação, neste caso, é procurar um especialista, que vai fazer os testes para identificar a substância causadora da alergia. O médico também recomenda a preferência por produtos industrializados. “Eles passam por testes de qualidade”, explica. Em 2002, por exemplo, a Anvisa proibiu a venda de um brinquedo chamado Meleca Louca, justamente porque ele tinha o bórax em sua composição. 

Além do bórax, apontado como a substância mais perigosa dentre as usadas nas receitas caseiras, Fernando Aarestrup lembra que outros produtos, como o creme de barbear, apresentam diferentes composições químicas, conforme a marca. As variações na concentração dos componentes na mistura podem ser um risco a mais para a pele sensível das crianças.

Caso seja percebida qualquer reação atípica, a recomendação é lavar o local com bastante água fria e procurar atendimento médico o mais rapidamente possível.