Carne moída temperada e moldada em formato circular. Junte isso a uma folha de alface, queijo, molho, bacon e um crocante pão redondo. Você terá a fórmula, nada secreta, de uma das comidas mais famosa do mundo: o hambúrguer.

Sucesso nas rodas de conversas, a iguaria começou a ficar conhecida no século 19 quando imigrantes alemães, saídos do Porto de Hamburgo (daí o nome), desembarcaram na América. Mas sua invenção remota aos séculos 17 e 18.

Segundo a lenda, os tártaros – tribos guerreiras que viviam em território russo – carregavam a carne debaixo da sela dos cavalos para que ela virasse uma pasta. Muito diferente do hambúrguer atual, né?

Mas você já parou para pensar em como será o hambúrguer do futuro? Pois bem, saiba que ele já chegou e é feito de vegetais.

Lançado pela startup brasileira Fazenda do Futuro, em maio deste ano – mesmo mês em que é comemorado o Dia do Hambúrguer, no dia 28 – o Futuro Burger imita a carne na cor, textura e sabor. E mais! Ele só foi feito graças a tecnologia.

Acontece que para conseguir resultados mais similares seus criadores utilizaram Inteligência Artificial (AI). A AI os permitiu analisar a textura e realizar testes sensoriais.

Os empreendedores pensaram em tudo e desenvolveram “carnes” para todos os gostos. Os que preferem mais mal passado podem ter esse aspecto de carne crua com suco de beterraba que lembra o sangue.

Dia do Hambúrguer - ingredientes

Imagem meramente ilustrativa. Foto: Pixabay.

Já os que gostam de mais dourado, a reação química Maillard –  ocorre quando aminoácidos e carboidratos estão em uma temperatura de 120 graus ou mais – possibilita isso.

Ao modo da casa

Mas a inovação tecnológica não está mudando apenas a composição dos ingredientes. Já é possível comer hambúrgueres preparados por… robôs.

Diferente da máquina de Flint Lockwood, da franquia de filmes “Tá chovendo hambúrguer”, o robô da vida real não transforma água em comida. Mas agiliza, e muito, todo o processo de preparação.

Desenvolvido durante 8 anos, o robozão mora na cozinha de um restaurante da cidade de San Francisco, nos Estados Unidos, o Creator. A máquina conta com 20 computadores e 350 sensores. Aparato que o permite fazer todo o processo de produção do hambúrguer, mas com um diferencial: com a quantia certa de cada ingrediente.

Porém, o robô é estrela apenas na cozinha. Todo o contato com o cliente é feito por atendes de carne e osso.

Hambúrguer que te quero

Que tal aproveitar que ontem foi comemorado o Dia do Hambúrguer para descobrir algumas curiosidades sobre essa comida?

Por que hambúrguer?

O nome do lanche tem origem no nome da cidade de Hamburgo, na Alemanha. A ideia de comer a carne moída, redonda e fina, misturada com cebola, ovos e outros ingredientes foi levada para os Estados Unidos pelos imigrantes do porto de Hamburgo

Dia do Hambúrguer - amigos

Imagem meramente ilustrativa. Foto: Pixabay.

A brasileira

O hambúrguer chegou ao Brasil na década de 50, quando o tenista americano Robert Falkemburg fundou o primeiro Bob’s em Copacabana, no Rio de Janeiro.

Comer para poder crescer

O hambúrguer de fato alimenta bastante. O pão é fonte de carboidrato, a carne tem proteínas. Já a alface e o tomate são fontes de fibras e vitaminas.

Mais um?

Mas é preciso tomar cuidado com a quantidade. As carnes, além de proteínas, também contém muita gordura e sódio.

 

Chewie, estamos em casa…

George Lucas se baseou em um hambúrguer para criar a Millennium Falcon. Sim, a da franquia Star Wars! O design de uma das naves mais icônicas do cinema de ficção científica surgiu a partir de uma mordida.

 

Com informações da BBC Brasil