Um animal grande, lindo e comelão. Um bicho ameaçado de extinção por ser caçado para consumo da carne e couro. Este é o  peixe-boi da Amazônia, o único da espécie que ocorre exclusivamente em água doce, podendo ser encontrado em todos os rios da bacia Amazônica.

Há uma semana, pesquisadores e protetores de animais realizaram a maior soltura de peixes-bois da Amazônia, no Norte do Brasil, alcançando recorde histórico. Foram 12 animais devolvidos para a natureza perto da Reserva de Desenvolvimento Sustentável Piagaçu-Purus, a 173 quilômetros de Manaus.

Esses animais haviam sido resgatados nos rios da região. Eles foram cuidados e reabilitados para voltar ao habital natural. A ação faz parte do Programa de Reintrodução de Peixes-bois do Projeto Mamíferos Aquáticos da Amazônia, realizado em parceria com o Instituto Nacional de Pesquisas da Amazônia (Inpa/MCTIC).

Soltura de animais na última semana. Foto: Fernanda Farias/Divulgação Assessorai de imprensa Ampa

A atividade de Reintrodução, que já devolveu aos rios da região amazônica mais de 30 animais que foram vítimas da caça ilegal, é executada pela Associação Amigos do Peixe-boi (Ampa), que atua há 18 anos na conservação dos mamíferos aquáticos da Amazônia.

Além dos cientistas, a comunidade local participa do cuidado aos peixes-bois da Amazônia. Os animais recebem um cinto com transmissor, que emite informações importantes para o acompanhamento da sobrevivência e saúde deles. Membros da comunidade fazem o monitoramento dos animais e ajudam a coletar dados para a pesquisa de conservação.

Reintrodução de peixe-boi da Amazônia. Foto: Luciete Pedrosa/ Acervo Inpa

Curiosidades sobre o peixe-boi da Amazônia

O peixe-boi da Amazônia é o menor dos peixes-bois existentes no mundo, alcançando um comprimento de 2,8 a 3,0 metros e pesando até 450 quilos;

Alimentam-se essencialmente de plantas aquáticas e semi-aquáticas, e chegam a consumir mais de 10% do seu peso corporal em alimento por dia;

Consegue permanecer mais de 20 minutos em baixo da água, sem respirar;

Cada fêmea de peixe-boi produz apenas um filhote a cada gestação e este filhote pode mamar por até dois anos;

Além da caça, as principais ameaças ao peixe-boi são a destruição e a degradação do habitat, a liberação de mercúrio nos rios e agrotóxicos.

(Fonte: Inpa)