Detona Ralph, animação do estúdio Disney lançada em 2013, é um filme sobre amizade – assim como sua continuação Wifi Ralph – Quebrando a internet, que estreou no Brasil no dia 3 de janeiro

Cartaz do filme Wifi Ralph – Quebrando a internet, da Disney

(veja o trailer aqui). Mas eles também falam muito sobre tecnologia e programação. Quem não se lembra do “bug” mais fofo e doce das telonas, Vanellope Von Schweetz?

No primeiro filme, Vanellope é descrita como um bug do jogo Corrida Doce. A garota tem um espírito de corredora embutido em seu código, mas é impedida de competir pelos outros personagens do jogo que tinham medo dos seus “tilts”. Mas, afinal, você sabe o que é um bug?

Bug é um jargão de informática muito popular que descreve um erro no funcionamento comum de um sistema. Ou seja, são as temidas falhas inesperadas. Também chamado de falha na lógica, pode causar comportamentos imprevisíveis.

Além disso, os bugs podem ser uma porta de entrada para crimes cibernéticos. Isso acontece porque esses erros podem gerar falhas na segurança, principalmente quando ocorrem em programas que têm acesso à rede, deixando uma brecha para pessoas que entendem muito de programação, os hackers, espalharem vírus e roubarem informações sigilosas.

Mas por que bug?

Bug é uma palavra inglesa que significa, literalmente, inseto. Mas, então, por que chamamos os erros de sistema de bug?

Inicialmente a palavra foi atribuída às falhas mecânicas. Acredita-se que Thomas Edison, um dos maiores inventores da história (conheça sua história aqui), a empregou pelos problemas que os animais causavam em seu fonógrafo – aparelho, criado em 1877, para gravar e reproduzir sons.

Apenas mais tarde o termo foi atribuído à informática. Isso se deu devido a um erro, em 1947, no computador Mark II, operado pela Marinha dos Estados Unidos. Segundo dados do diário de bordo do operador William Burke, ele encontrou dentro da máquina uma mariposa presa entre os fios, causando uma falha no funcionamento do computador.

Inseticida moderno

Antes, quando havia um problema com o computador, era comum desligar a máquina e checar se havia algum problema com o cabo ou a internet. Hoje, a vida ficou mais fácil e já existem, no mercado, diversos programas que localizam e resolvem os bugs.

As empresas também estão bem mais preparadas para esses “animaizinhos”. Google, Facebook, WhatsApp, entre outras empresas, antes de lançarem um novo programa ou, até mesmo, um sistema de hardware (parte física do computador) fazem testes para evitar possíveis falhas. Além disso, costumam lançar uma versão beta (não finalizada) para um grupo restrito de pessoas fazer uma avaliação e detectar qualquer possível bug.