Os livros da escola, em geral, só nos ensinam os acertos da ciência: as fórmulas que deram certo, as teorias que foram comprovadas. Mas, para chegar a esses resultados, muitos cientistas passaram por erros e dificuldades.

penso_me_enganoExiste um livro chamado ‘Penso, logo me engano‘, do francês Jean Pierre Lentin, que traz várias histórias desses erros e de alguns golpes de sorte que ajudaram gênios e grandes personalidades da ciência a chegarem às conclusões que mudaram os rumos da pesquisa.

Astrônomos, arqueólogos, físicos, ninguém sai ileso da lista de erros da ciência.

O livro explica que algumas dessas gafes foram descuidos que acabaram levando a resultados positivos, sem querer. Mas há também histórias de quem inventou teorias sem pé, nem cabeça, ou trabalhava com as informações de que dispunham da época em que viviam, que depois se mostraram equivocadas.

Galileu Galilei, Charles Darwin, Pitágoras, Aristóteles e até Albert Einstein estão dentre os nomes que cometeram escorregões, mancadas e vacilos!

erros_cientistasOutro livro bacana e mais recente sobre o tema é o ‘Tolices brilhantes‘, do astrofísico Mario Livio.

Segundo o autor, os erros da ciência são decorrentes das limitações da mente humana, e sempre haverá erros, até que uma sequência deles se torne um acerto.

Nessa obra, são explicados os erros de Darwin, que depois seriam corrigidos por Mendel. Já o erro de Einstein foi importante para estabelecer novos debates no campo da física.

Também são explicados os erros de William Thomsom (Lord Kelvin), do químico Linus Pauling e do astrofísico Fred Hoyle.

É por caminhos errantes que a ciência avança!

O mais legal desse tipo de leitura é que nos ajuda a pensar que somos todos falíveis, e que sempre há tempo para repensar, começar de novo, rever o nosso trabalho e buscar um resultado melhor.

Você já leu algum desses livros? Conte pra gente o que achou aqui nos comentários!