O que é um terremoto?placas-tectonicas-

Os terremotos estão diretamente relacionados ao movimento de grandes placas no interior da Terra, chamadas placas tectônicas.

Em alguns casos, nem podemos ver estes movimentos e rupturas, porque acontecem a muitos e muitos quilômetros abaixo da superfície da Terra onde nos encontramos. Mas quando sua intensidade é muito grande, os terremotos podem arrasar cidades e países, como vimos acontecer no México esta semana.

Para entender melhor o que são as placas tectônicas e como elas se movimentam, assista ao vídeo da TV Cultura Digital.

O que são zonas de tensão?

Zonas de tensão são os efeitos da interação de diferentes placas tectônicas, ou seja, as zonas em que a interação entre dois corpos rochosos é intensa. Quando essa tensão é superior ao limite de resistência das rochas, acontecem alguns rompimentos, que liberam grandes quantidades de energia, sentidas na superfície da terra na forma de tremores e vibrações.

Por que a terra treme quando há um terremoto?

A terra treme por causa da liberação de energia quando acontece o atrito entre as placas. Essa energia irradia  em todas as direções sob a forma de ondas sísmicas como ondulações em uma lagoa.

As ondas sísmicas agitam a terra enquanto se movem através dela, e quando as ondas atingem a superfície da Terra, agita o chão e qualquer coisa sobre ele, como nossas casas e nós!

Quer aprofundar seus conhecimentos? Assista a este vídeo do canal Nerdologia:

O que é e como funciona um sismógrafo?

Sismógrafo é o instrumento que consegue medir as vibrações internas da terra para indicar sua força ou intensidade.

O sismógrafo tem uma base firme no chão e um peso bastante pesado, que fica livre. Quando um terremoto agita o solo, a base do sismógrafo se agita também, mas o peso suspenso não. Em vez disso, a corda que está pendurada absorve todo o movimento. A diferença de posição entre a parte tremendo do sismógrafo e a parte imóvel é o faz a gravação.

Neste documentário da TV Escola, você vai conhecer um pouco mais sobre o inventor do sismógrafo,  Zhang Heng

O que é a escala Richter?

A força de um terremoto é medida em uma escala, que chamamos de Escala Richter, que varia entre 1 (muito fraco) e 10 (muito forte).

Veja o que podemos sentir, de acordo com a intensidade do terremoto:

  • Menos de 3,5º  – não costumam ter grandes efeitos sobre a superfície, sendo apenas registrados pelo sismógrafo;
  • Entre 3,5º e 5,4º – podem ser sentidos, porém sem muitos estragos;
  • Entre 5,5º e 6º – causam pequenos danos à superfície;
  • Entre 6º e 8º – os danos podem ser grandes
  • Entre 8º e 10º –  grandes catástrofes em uma superfície superior a 100 km de extensão ocorrerão.

O que é a escala a escala Mercalli?

Além de serem medidos de acordo com a energia liberada no epicentro do tremor (magnitude), é possível medir  os efeitos nas pessoas, estruturas e natureza em um determinado local (intensidade).

Para determinar a magnitude, os aparelhos sismógrafos usam a escala Richter. Já para apontar a intensidade, é utilizada a escala de Mercalli. A escala de Richter é numérica, começa no nível 1 e não tem fim. A de Mercalli é representada em algarismos romanos e também não tem limite.

Veja que interessante este infográfico interativo produzido pelo site Terra.

871d6ffd-de44-4f0b-9083-7f2e83d64dff

Os cientistas podem prever terremotos?

Não, os cientistas não podem prever terremotos. Eles já tentaram muitas maneiras diferentes de prever os tremores da terra, mas nenhum deles deu certo. Sabemos que terremotos ocorrerão no futuro, mas ainda não temos como saber exatamente quando isso acontecerá.

Alguns animais ou pessoas são capazes de prever terremotos?

Embora algumas pessoas digam ser possível prever um terremoto a partir do clima e que o comportamento de alguns animais pode ajudar a prever os abalos, a ciência ainda não conseguiu comprovar essas afirmações.

O que são os clarões vistos e fotografados durante terremotos?

Segundo pesquisadores da Universidade de Rutgers, nos Estados Unidos, em entrevista à BBC, as luzes aparecem devido a movimentos em camadas do solo, que geram cargas elétricas enormes quando acontecem perto de falhas geológicas da Terra.

São conhecidas como “luzes de terremoto” e são documentadas desde os anos 1600, de acordo com um comunicado da Associação Sismológica dos Estados Unidos.

Vários vídeos publicados no YouTube mostram esferas de luz na época do terremoto seguido de tsunami em Fukushima, no Japão, em 2011. E agora algo parecido está acontecendo no México.

Ainda tem dúvidas? Deixe sua pergunta nos comentários e nós iremos atrás de um cientista para respondê-la!

*Imagem em destaque: www.pitara.com