Inventor, animador, cineasta e artista, Oskar Fischinger completaria 117 anos em 22 de junho. Esse alemão foi um visionário em sua época. No início do século XX, foi pioneiro dos efeitos especiais e dos clipes, criando animações musicais abstratas como a que está no vídeo a seguir:

 

Suas obras eram uma combinação de geometria e música, muito diferentes dos desenhos e animações tradicionais que existiam nos primeiros anos de 1900.

Oscar Fischinguer também foi inventor

No fim da década de 1940, ele inventou um instrumento visual chamado Lumígrafo: uma tela emborrachada que dava forma às luzes coloridas que eram projetadas na tela por outra pessoa. O resultado parece um show de luzes coloridas e até lembra a aurora boreal:

 

Lumigraph Film (excerpt) by Elfriede Fischinger, c. 1969 from CVM on Vimeo.

Que tal criar sua própria obra visual musical?

Em homenagem à data, a Google criou um Doodle interativo multimídia que permite que você crie sua própria composição musical com efeitos visuais.

Você pode escolher entre quatro instrumentos diferentes, representados por formas geométricas. Conforme uma barra de tempo passa pelas “notas”, as imagens relativas a cada instrumento são exibidas.

doodle

 

Música, ciência e arte

A música e a arte podem ser estudadas em diversas ciências. Muitos pesquisadores se dedicam a essa missão, seja em cursos de Música, Belas Artes, Artes Plásticas ou outras formações das Ciências Humanas, Sociais, Sociais Aplicadas e Linguagens.

Ciência e arte: ambas nutrem-se do mesmo húmus, a curiosidade humana, a criatividade, o desejo de experimentar. Ambas são condicionadas por sua história e seu contexto. Ambas estão imersas na cultura, mas imaginam e agem sobre o mundo com olhares, objetivos e meios diversos. O fazer artístico e o científico constituem duas faces da ação e do pensamento humanos, faces complementares mas mediadas por tensões e descompassos, que podem gerar o novo, o aprimoramento mútuo e a afirmação humanística”.

Luisa Massarani, Ildeu de Castro Moreira e Carla Almeida

Via / Via / Para que um diálogo entre ciência e arte?