Já pensou em construir um brinquedo eletrônico que pode ser controlado pelo celular?

Pode parecer algo muito difícil ou um trabalho para especialistas. No entanto, uma turma inteligente da Universidade Federal de Itajubá (Unifei) inventou um brinquedo como esse, que pode ser programado de forma personalizada. Os criadores compartilham o conhecimento para a construção do smart toy e incentivam o “faça você mesmo”.

Estamos falando do Guimo, uma criação de quatro estudantes de Ciência da Computação, Engenharia de Controle e Automação e Administração de Empresas. Eles se uniram para montar a startup Guimo Toys, em 2015, com missão de inspirar as crianças a programar, se divertir e interagir com o próprio brinquedo.

O Guimo é um brinquedo educativo que se liga a aparelhos digitais, como tablets, smartphones ou computadores. Usando o aplicativo gratuito você pode fazer o Guimo conversar, comer, beber e dançar.

“O Guimo é um ser de outro planeta que estava em uma missão intergaláctica, mas foi atingido por um meteoro e caiu na terra, perdendo parte de suas peças, programação e personalidade. É objetivo das crianças encontrar suas peças e ajudá-lo a recuperar sua programação e moldar sua personalidade”.

Como funciona?

Como dar vida ao Guimo?

Peça ajuda a um adulto para fazer seu próprio Guimo e personalizar a programação dele. É possível criá-lo em madeira ou papel, além de montar a parte eletrônica.

Cada módulo do brinquedo possui sensores, o que faz com que eles reajam ao ambiente, deixando a brincadeira ainda mais divertida. O Guimo tem o código de programação aberto (CERN-OH e GPL-v3), sendo assim, qualquer pessoa pode dar vida ao brinquedo.

Para iniciar a missão de montagem, siga os tutoriais da Guimo Toys. A startup também mantém atualizado seu repositório no GitHub.

Boa sorte na missão intergaláctica!