Hoje começa o Pint of Science em Belo Horizonte. Trata-se de um evento para adultos, uma conversa sobre diversos temas, com cientistas, nos bares da cidade.

Um dos temas debatidos nesta segunda-feira é a febre amarela. Aproveitamos a ocasião, para também falar sobre o assunto aqui no MFC infantil.

900px-Protect-Against-Yellow-Fever-Step-2

O QUE É

Muitos mosquitos que vivem nas regiões tropicais do planeta podem transmitir doenças. Uma dessas doenças é a febre amarela, presente principalmente na África e América do Sul.

TRANSMISSÃO

O vírus da febre amarela é carregado pelas fêmeas. Elas transmitem dois tipos da doença:  a febre amarela silvestre e a febre amarela urbana.

A febre silvestre afeta principalmente os macacos. Mas se um mosquito pica um desses macacos infectados, pode transmitir o vírus para outros animais ou pessoas picados por ele.

Já a febre amarela urbana afeta principalmente os seres humanos. Ela normalmente é encontrada em cidades da África tropical e da América do Sul. Os mosquitos transmitem a doença de uma pessoa para outra.

mosquito

SINTOMAS

Nem todos os casos de febre amarela são fortes.  A infecção começa com febre, calafrios, dores musculares, dores de cabeça e náuseas. Alguns dias depois, o paciente começa a melhorar.

Em alguns casos, no entanto, a febre volta depois de alguns dias e isso é muito grave. A pessoa infectada pode vomitar sangue ou apresentar sangramento no nariz e nos olhos. O fígado por falhar e a pessoa fica amarelada. Os rins também podem deixar de funcionar direito. Nestes casos, a febre amarela pode levar à morte.

PREVENÇÃO

Existe vacina para prevenir contra a febre amarela. Uma única dose dela protege contra a febre amarela por dez anos.

Outra maneira de prevenir contra a febre amarela é evitar que mosquitos se reproduzam nas áreas urbanas. Assim, outras doenças como a dengue também controladas.

TRATAMENTO

Não há cura para a febre amarela e os antibióticos não funcionam contra o vírus. O tratamento da febre amarela é feito com medicamentos que aliviam os sintomas. Os casos graves devem ser tratados em hospitais.

VACINAÇÃO

vacina

Quem deve tomar a vacina, com restrições, segundo o Ministério da Saúde.

  • Pessoas acima de 60 anos deverão ser vacinadas somente se residirem ou forem se deslocar para áreas com transmissão ativa da febre amarela e que não tiverem alguma contraindicação para receber a vacina.
  • Gestantes (em qualquer período gestacional) e mulheres amamentando só deverão ser vacinadas se residirem em local próximo onde ocorreu a confirmação de circulação do vírus e que não tiverem alguma contraindicação para receber a vacina.
  • Mulheres amamentando devem suspender o aleitamento materno por 10 dias após a vacinação e procurar um serviço de saúde para orientação e acompanhamento a fim de manter a produção do leite materno e garantir o retorno à lactação.

Pessoa vivendo com HIV/AIDS desde que não apresentem imunodeficiência grave

VIAJANTES – Para turistas que forem se dirigir a uma área com recomendação de vacina – tanto estrangeiros quanto brasileiros – e que não nunca receberam nenhuma dose da vacina, a recomendação é que seja vacinado pelo menos dez dias antes da viagem, que é o tempo que a vacina leva para criar anticorpos e a pessoa estar devidamente protegida. Quem tomou a vacina em algum momento da vida, não precisa de nova dose.

CRIANÇAS – Se a criança tiver alguma dose do Calendário Nacional de Vacinação em atraso, ela pode ser aplicada ao mesmo tempo com a febre amarela, com exceção vacina tríplice viral (que protege contra sarampo, rubéola e caxumba) ou tetra viral (que protege contra sarampo, rubéola, caxumba e varicela).

Se a criança que não recebeu a vacina para febre amarela nem a tríplice viral ou tetra viral e for atualizar a situação vacinal, a orientação é receber a dose de febre amarela e agendar a proteção com a tríplice viral ou tetra viral para 30 dias depois.

Saiba mais: