O soluço é uma situação muito inconveniente, mas passageira. A gente não pode fazer nada para controlá-lo. Toda vez que estamos em crise, alguém oferece uma sugestão mágica para acabar com o incômodo. Será que essas dicas populares funcionam?

Ficou com pena bebezinho soluçando? O soluço não é motivo para grandes preocupações, mas é preciso entender o que acontece no corpo para matar toda a curiosidade sobre esse reflexo. O Minas Faz Ciência pesquisou algumas respostas sobre o soluço para compartilhar aqui:

Por que a gente soluça?

O soluço é causado por uma contração – espasmo repentino – do músculo chamado diafragma, que fica entre o tórax e o abdômen. Quando isso acontece, a nossa glote (uma tampa que fica na garganta) se fecha, prejudicando a passagem de ar para os pulmões. Daí ocorre alteração em nosso clico respiratório. O fenômeno é desconfortável, mas desaparece em poucos minutos.

Várias situações do dia a dia podem favorecer a ocorrência de soluço: ingerir refrigerantes ou bebidas alcoólicas, comer muito e rapidamente, além da mudança repentina de temperatura do corpo (como sair de um local quente e entrar em uma ducha gelada).

Algumas pessoas também soluçam ao ingerir comidas apimentadas e pães muitos secos ou, até mesmo, quando soltam gargalhadas seguidas. Nesse último caso, a pessoa pode “engolir” ar. Sem ter para onde ir, este ar preso sai na forma de soluços.

E se o soluço for persistente?

Soluço geralmente não precisa de tratamento médico, mas se for recorrente pode estar relacionado com problemas gastrointestinais (o refluxo, por exemplo) ou doenças respiratórias (como pneumonia e asma).

Há também outras condições que podem favorecer a ocorrência de soluços: acidente vascular cerebral (AVC), meningite, faringite, depressão, estresse, hipoglicemia ou diabetes. Alguns medicamentos e a anestesia geral também podem acarretar soluço.

O soluço pode ser tornar problema crônico, se houver alguma alteração nos nervos do diafragma. Se o incômodo durar 48 horas seguidas, é ideal procurar um médico. O americano Charles Osborne, nascido na cidade de Iowa, entrou para o livro dos recordes (Guinness World Records) porque soluçou 68 anos seguidos, entre 1922 e 1990. É o mais longo ataque de soluços da história.

Foto: Aqua Mechanical/Flickr

Foto: Aqua Mechanical/Flickr

Como parar de soluçar?

Algumas soluções caseiras e dicas populares realmente ajudam a parar de soluçar.

Confira esta lista:

  • Beber água gelada lentamente;
  • Segurar a respiração por um curto período de tempo e depois soltar o ar três ou quatro vezes;
  • Tampar o nariz enquanto engole;
  • Gargarejar com água fria;
  • Inclinar o corpo para frente para comprimir o peito suavemente;
  • Comer um pouco de açúcar;
  • Sentar e abraçar os joelhos o mais próximo possível do peito.

 

 

Fontes de informação: Empresa Brasileira de Comunicação (EBC), Wiley Online Library (Hiccups: A new explanation for the mysterious reflex), BBC News e Guinness World Records

Vídeo do bebê: Jeffthebear/Flickr